As consultas a cidadãos serão realizadas em cinco países: Lisboa (Portugal), Valência (Espanha), Vicenza (Itália), Trnava (Eslováquia) e Lodz (Polónia). Procuramos garantir a participação de 100 cidadãos em cada país: voluntários selecionados e representantes de diferentes grupos sociais, tomando em consideração o género, idade, nível educacional, minorias étnicas, pessoas com deficiências físicas e carreiras profissionais.

As consultas explorarão o entendimento dos cidadãos sobre quatro tópicos selecionados: vacinas, uso de medicina complementar e alternativa (CAM), organismos geneticamente modificados (OGMs) e segurança alimentar e mudanças climáticas.

A consulta em Portugal é organizada pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa no dia 16 de novembro no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

A consulta pública consiste em discussões em mesa redonda sobre quatro tópicos e terá a duração de um dia. Aos participantes selecionados irá ser pedido que, em pequenos grupos, discutam temas relacionados com a comunicação pública e a sua perceção de temas relacionados com ciência, nomeadamente: vacinas, alterações climáticas, organismos geneticamente modificados, e o uso de medicinas alternativas. Esta atividade irá desenvolver-se entre as 9h30 e as 17h, incluindo intervalos para descanso e almoço.

Pretendemos recrutar voluntários com perfis sociais diferenciados de todo o país. Não é preciso ter experiência ou conhecimento específico sobre os tópicos a discutir. Os únicos requisitos para participar são: ter 18 anos ou mais, viver em Portugal e ser fluente em Português. Os cidadãos irão contribuir para o estudo de forma voluntária (isto é, não irão receber qualquer retribuição monetária pela sua participação), no entanto as despesas de transporte, alojamento e alimentação serão asseguradas pela organização. Os voluntários também irão receber um brinde e entradas gratuitas para alguns museus da cidade de Lisboa.

O principal objetivo da consulta é que os cidadãos partilhem as suas opiniões e experiências sobre a forma como a informação científica chega ao público. Os moderadores poderão colocar questões para facilitar os diálogos, mas não existem respostas certas ou erradas. Todas as contribuições contam e são essenciais para aumentar o conhecimento do CONCISE sobre as fontes que os cidadãos usam para aceder a informação sobre ciência e de que modo formam opiniões e tomam decisões relacionadas com assuntos científicos.

Para se inscrever: http://bit.ly/concisePT

Caso tenha alguma questão: Ana Delicado, ana.delicado@ics.ulisboa.pt, 217804700